Dicas e Curiosidades Saúde e Bem-Estar

Como se prevenir do bicho-geográfico nas praias

criança-brincando-na-areia-da-praia

Para aliviar o calor, um dos locais mais procurados durante as férias de verão são as praias. Nas praias, a criançada tem um extenso campo de areia para construírem castelos e o que mais desejarem. Porém, infelizmente, pode haver um vermezinho passeando por essas areias, o famoso “bicho geográfico”.

O que é o bicho-geográfico?

O bicho-geográfico, que tem como nome científico Larva migrans cutânea, é um verme compridinho que se aproveita de feridas e cortes para entrar na pele.

Ele também tem esse nome diferente pois quando a criança está infectada, o verme se movimenta pela pele e deixa rastros por onde passa, formando linhas e formas que se parecem com mapas geográficos.

Como o bicho-geográfico chega até a praia?

Esse parasita fica alojado no intestino de muitos animais domésticos, principalmente dos cachorros e dos gatos.

Quando esses animais passeiam pelas praias, eles podem acabar fazendo cocô na areia, e esse cocôzinho pode conter os ovos do verme.

Após saírem dos ovos, o verme consegue infectar a criança pelo simples contato com sua pele.

Os sintomas do bicho-geográfico:

  • Coceira intensa na pele, principalmente durante a noite pois é quando o verme fica mais ativo;

  • Lesão na pele em formatos que se parecem mapas, sintoma esse que deu origem ao nome “bicho-geográfico”. No período em que a larva está mais ativa, essa marca pode chegar a crescer até 1 cm por dia.

  • A pessoa infectada costuma sentir a larva se movimentando pela sua pele. Sensação horrível!

  • Por onde o parasita passa, ele deixa um túnel, e essas regiões costumam inchar.

Formas de tratamento:

O primeiro passo a se tomar ao perceber os principais sintomas, é procurar um dermatologista.
As principais indicações dos dermatologistas para as infecções que começam a serem tratadas logo nos primeiros dias são pomadas especiais para esses vermes. Caso a infecção esteja mais avançada, será necessário o uso de comprimidos para combater o avanço do parasita.

Durante todo o processo de tratamento, quando houver coceiras intensas, a dica é utilizar uma bolsa de gelo sobre a região afetada pela larva para aliviar esse sintoma.

Em muitos casos, quando o avanço da larva é lento, não é necessário o uso de medicamentos. Independente de se realizar um tratamento específico, a larva será expelida do corpo em até 8 semanas, devido a sua dificuldade em se adaptar à pele humana e acabar morrendo.

Como se prevenir do bicho-geográfico nas praias?

Quando vão às praias, as crianças costumam brincar bastante mexendo na areia. Elas cavam e constroem o dia inteirinho, sem parar!
Infelizmente, são nessas brincadeiras inocentes que a larva se aproveita para infectar os pequenos.

Para evitar ao máximo qualquer contaminação, é recomendado o uso de sandálias e chinelinhos ao andar pela areia da praia e evitar se deitar na areia sem nenhuma toalha ou qualquer proteção que evite o contato direto da pele dos pequenos.

Por estarem em maior contato com a areia, as crianças são os alvos principais desse parasita, mas os adultos também podem acabar pegando essa verminose!

É válido lembrar que não é só nas praias que o verme pode ser encontrado. Em parques, quintais e todos os locais em que há movimentação de cachorros e gatos há a chance do verme estar presente. Então mesmo que não seja na praia, as recomendações para se prevenir devem ser seguidas.

É possível evitar que o bicho-geográfico se encontre em locais públicos?

Sim, é super possível. E para evitar que esse bichinho contamine outras pessoas basta conscientizar o máximo de conhecidos para que evitem passear com seus animais de estimação na praia, mas caso levem os amiguinhos de quatro patas da família junto, sempre lembrá-los de levar uma sacolinha plástica para recolher o cocô.

passeio no parque com cachorrosRecolher os cocôs dos cachorrinhos e gatinhos é obrigatório nos passeios em locais públicos!

Com essa simples atitude você evita que milhares de crianças tenham suas férias prejudicadas por esse bichinho tão chato que é o bicho-geográfico, que há anos vem incomodando e tirando o sono de nossos pequenos, mas que com esses simples cuidados fica fácil evitar que o verme se aloje.

Mamães, gostaram das dicas? Não deixe de participar nos comentários!

Fontes: Escola Kids, Tua Saúde, Vivo mais Saudável e Medifoco.

Deixe seu comentário

comments

Deixe um comentário