Educação Saúde e Bem-Estar

Índice de crianças perdidas nas férias ainda é alto

criancas-perdidas-praia-perigo

As férias são um período de muita diversão. Coincidindo com o calor, é muito comum que as famílias aproveitem para viajar e encontrar nesses locais a situação perfeita para uma festa que envolve todos, adultos e crianças. Um destino comum para esse período é a praia.

 

criancas-perdidas

 

E é nas praias que a atenção dos pais deve ser ainda maior, tentando evitar um acontecimento que assola muitas famílias, a perda das crianças. Pela situação, clima e movimentação, é comum que pais, por algum momento, acabem se desprendendo da atenção dos pequenos. Somando isso ao descompromissado comportamento infantil, as crianças acabam se afastando e não conseguindo voltar para perto da família.

Casos de crianças perdidas é alto no litoral

A situação é tão terrível quanto parece. O sofrimento dos pais que conseguem encontrar seus filhos e o medo da criança não enxergar seus parentes é crescente, transformando a calma em desespero em pouco tempo. Segundo o Corpo de Bombeiros, os casos de crianças perdidas nas praias vêm aumentando em algumas localidades. No mês de janeiro 2016, as praias de Alagoas registraram 36 casos de crianças perdidas. Esse número é ainda maior quando se compara com o número total de crianças perdidas durante todo o ano, que é de 52.

Já no litoral paulista, foram registrados cerca de 800 casos de crianças perdidas ao longo do ano. Esse acontecimento pode e deve ser prevenido pelos pais através de práticas simples, que requerem prevenção e, principalmente, atenção e orientação. O comportamento infantil deve receber orientações e explicações e os pais sempre devem atentos a tudo ao redor delas.

Orientações do Corpo de Bombeiros

O Corpo de Bombeiros orienta com práticas simples, como as pulseiras de identificação. Trata-se de uma pequena pulseira fornecida pelos agentes na praia e contam com dados dos responsáveis, como nome e telefone e auxiliam no caso de encontrarem a criança perdida.

Outra prática simples é os pais orientarem as crianças com relação a pontos de referência para o caso de elas se afastarem e perderem os pais de vista. Se estabelecer próximo a um salva-vidas, por exemplo, é uma maneira de mostrar para a criança uma localização precisa quando eles precisarem se orientar.

Esses profissionais, por sinal, estão localizados em pontos estratégicos para auxiliar a população. Muitas vezes, informar e apresentar a um salva-vidas sobre a criança estar acompanhada com alguns adultos pode ajudar a prevenir acidentes e o desparecimento repentino.

Fiquem atentos

Ainda assim, em praias muito cheias, os pais nunca devem confiar totalmente no comportamento infantil. O pais devem estar o mais próximo possível dos pequenos, os acompanhando de perto. Mas, em caso de acontecer da criança se afastar e não houver indícios e suspeitas de para onde ela possa ter ido, é indicado que a procure as autoridades como policia e bombeiros dando características da criança para que eles possam fazer as buscas.

Tecnologia a favor

Atualmente, os aparatos tecnológicos também prometem ajudar os pais nesses casos. Nas praias do Guarujá, o projeto Anjos do Verão, que já tem dez anos de existência, passou a utilizar o WhatsApp como mais uma ferramenta para ajudar os pais na busca pelos seus filhos perdidos.

Os envolvidos que fazem parte do projeto são todos voluntários e contam com uma barraca alocada na praia, distribuem pulseiras de identificação e divulgam o número do WhatsApp (13) 99148-5959, para que pais e responsáveis entrem em contato em caso de necessidade.

Você também pode gostar de:

Deixe seu comentário

comments

Deixe um comentário