Comportamento Infantil Dicas e Curiosidades Saúde e Bem-Estar

Meu filho tem autismo, e agora?

mae-autismo-620x350

É muito importante que uma mãe que tenha seu filho autista saiba lidar com tais situações dos sintomas, e principalmente procure entender o que é esse tipo de distúrbio neurológico, pois os familiares são peças fundamentais para o tratamento.

Ainda a mãe de um autista, deve ter em mente que o mesmo vive no “mundo dele”, parecendo que existe dificuldade para se comunicar, porém é de suma importância que a mesma entenda que não é porque ele quer, mas sim por conta do distúrbio, por essa razão, o mais aconselhável é a mãe procurar ajuda de especialistas para o filho, e para ela também, para que assim ela possa entender o distúrbio de uma maneira mais clara e sem se sentir culpada, até porque com o filho passando por especialistas e a mãe também, colocará o “tratamento” muito mais fácil para ambos os lados.

O autismo não tem cura, porém é uma doença que requer que o paciente passe por especialistas para estar sempre em desenvolvimentos positivos que o façam aprender tudo aquilo que eles têm dificuldade, principalmente na interação social, sendo assim mais uma vez é importante os pais sempre estarem presentes e incentivando o filho, não importa a idade, o bom é sempre incentivar e participar da vida do mesmo.

crianca-brincando-sozinhaAs crianças autistas geralmente se isolam e têm dificuldades em interações sociais.

Colocar em prática os costumes do seu filho para que haja uma interação entre vocês dois, “de maneira natural”, fará com que a situação fique mais fácil de lidar, pois a partir do momento em que você está falando sobre um determinado assunto que ele goste e domine, a atenção dele poderá se voltar mais fácil para a interação de vocês. Porém, nem todos os casos podem ser resolvidos dessa maneira, de forma rápida, já que, dependendo do grau do autismo, a interação pode ser mais difícil de ser conquistada do que outras, ou ate mesmo pode demorar algum tempo até que seu filho consiga lidar com tal situação. Vale a pena lembrar, que o conjunto dos especialistas e da família, fará o tratamento muito mais eficiente.

Outra dica importante, para as mães, é utilizar formas e desenhos para que sirvam de estímulos na intenção deles saberem o que será feito naquele dia, semana, mês, fazendo com que a pessoa com o distúrbio possa entender de forma mais clara, trabalhando também a sua rotina, já que quando foge dela, se torna muito difícil para eles, deixando-os estressados e nervosos. É muito bom também, a mãe conversar e explicar sobre essas formas e desenhos, deixando sempre a disposição do mesmo para que tenha contato visual.

Lionel Messi, um exemplo de que autismo não é nenhum demérito.

Nunca deixe o seu filho ficar sem realizar atividades, podendo ser elas tantos educativas e pedagógicas quanto brincadeiras e jogos que ele goste de jogar, por período muito grande, pois assim o estimulará a não ficar preso dentro de sua “bolha”.

Portanto nunca deixe de acompanhar um especialista para o melhor desenvolvimento social e familiar da pessoa com o distúrbio, tanto verbal, corporal e intelectualmente, caso contrário será necessário um período muito maior para que o mesmo consiga atingir tal posição dentro da sociedade.

Deixe seu comentário

comments

Deixe um comentário