Dicas e Curiosidades Listas Saúde e Bem-Estar

Pesadelos: 10 dicas para ajudar as crianças a combatê-los

crianca-com-medo-pesadelo-boutique-infantil

O que você faz quando seu filho tem um pesadelo?

Primeiramente, há dois problemas que devem ser examinados enquanto tentamos ajudar uma criança que está sofrendo com pesadelos:

1. O quê fazer durante o pesadelo, ou logo após que a criança acorde de um;
2. O quê fazer no dia a dia da criança, antes e depois de dormir, para manter os sonhos ruins longe dela.

Podemos chamar isso também de “gerenciamento de crise” (1) e “prevenção de crise” (2).

Primeiro, vamos falar sobre como podemos lidar com um pesadelo que a criança acabou de ter.

1. O que NÃO fazer.

Independente do que você faça para auxiliar a criança a lidar com pesadelos, jamais ignore o seu choro no meio da noite.

Caso você se sinta ficando bravo, frustrado ou até mesmo impaciente com o pequeno (por motivos dele ter feito você se levantar da cama), tire alguns segundos para respirar fundo e se acalmar antes de ir até o quarto do filho.

A única coisa que você não quer nesse momento é que seu filho comece a se culpar por todo o estresse causado, sem ter todo o suporte da mamãe e do papai que ele esperava que teria.

2. Vá imediatamente ao lado do seu filho.

Fique atento para escutar seu filho se levantando da cama e andando assustado pela casa, mais provavelmente indo em direção ao quarto dos pais. Se o quarto do filho for perto do quarto dos pais, essa tarefa é mais fácil.

Porém caso ainda seja necessário, procure adquirir uma babá eletrônica.

Assim que você escutar o pequeno acordando assustado (gritando, chorando, soluçando, etc.), vá diretamente a ele e tranquilize-o com palavras confortantes, fazendo-o se sentir mais calmo a ponto de parecer algo que tenha acontecido durante a luz do dia.

Lembre-se que você pode empregar outras diversas estratégias para acalmar o seu pequeno do susto que teve ao passar por um pesadelo.

crianca-assustada-pesadelo-boutique-infantilLogo após o pesadelo, a criança pode estar muito assustada e por isso, toda atenção é necessária.

3. Acalme o seu pequeno.

Abrace seu filho. Gentilmente faça carinhos em sua cabeça e nas costas. E escute todos os medos dele com empatia, entendendo que são todos reais e que não devem ser desconsiderados em nenhuma circunstância.

Se a criança quiser conversar sobre o pesadelo, converse. Mas não se esqueça de sempre encorajá-la.

Ofereça todo o apoio necessário até que ele esteja calmo o suficiente para voltar a dormir. Não se esqueça de que pode não ser tão simples para que nosso pequeno volte a dormir, e que isso fará com que você passe algum período ao seu lado na cama.

Se a criança estiver muito assustada, faça o que for possível para acalmá-la, o que pode incluir até mesmo alguma atividade mais leve para que o pequeno esqueça do pesadelo.

Você também pode providenciar um abajur para o quarto, mas verifique se o mesmo não está criando alguma sombra assustadora.

4. Lembre sua criança de que foi apenas um sonho, mas não espere que isso resolva tudo.

Lembre-se que provavelmente, mesmo contando aquela velha história de que “foi só apenas um sonho” provavelmente não vai resolver o problema.

As crianças, quanto mais novas, não entendem que o sonho não é algo real.

Já com crianças que tenham mais de 3 anos, pode funcionar, e vale a pena lembrá-las de que estavam sonhando quando tudo aconteceu.

5. Mostre que seus filhos podem tomar conta dos seus sonhos.

Os pequenos podem ter pensamentos sobre coisas fofas e alegres para se confortarem sozinhos, e você deve lembrá-los disso.

Sugira, por exemplo, que imagine o fim do pesadelo de uma maneira feliz.

E, de nenhuma forma, subestime esse método. Ele ensina a criança que ela pode mandar no sonho e fazer com que ele aconteça da forma que quiser.

Independente do método que for usado, aproveite essa oportunidade para ajudar o pequeno a buscar suas habilidades mais internas para confrontar os seus medos. Isso o fará mais auto confiante durante as várias fases da vida.

E agora, como prevenimos os pesadelos?

1. Prevenção é o melhor remédio.

A prevenção é sempre um desafio, mas é também a melhor solução.

Faça com que a hora do soninho seja um momento confortável e seguro para a criança.

Caso necessário, passe um tempinho junto na cama, lendo uma historinha ou então ajudando-o a relaxar.

Uma rotina que você possa fazer é realizar um banho quente e relaxante, fazer um chá ou também fazer alguns minutos de massagem no pequeno.

2. Discuta os pesadelos com ele/ela.

Se a criança enfrenta constantes pesadelos (vários por mês), você pode tentar descobrir quais os medos que estão causando esse incômodo e resolver o mais depressa possível.

O que realmente está assustando seu filho?

Conversando sobre o conteúdo do pesadelo, você pode chegar na resposta da pergunta acima.

Após descobrir o que está acontecendo, você pode se focar mais diretamente no medo da criança, e não no pesadelo em si.

Assim que você consiga tirar o medo da criança que está causando os pesadelos, é possível que os pesadelos desapareçam também.

3. Examine a rotina do pequeno.

Em adição à conversa sobre o pesadelo citada no tópico anterior, é válido rever como anda a rotina do pequeno quando se trata em buscar as causas dos sonhos ruins.

Pode ser que haja algo acontecendo na escola, ou até mesmo em casa que esteja causando esse distúrbio na criança.

Agora que estamos na era digital, você já se perguntou o que seu filho assiste na TV? Há a possibilidade da criança estar assistindo à filmes muito assustadores.

Com os videogames, verifique sempre a classificação indicativa dos jogos que seu pequeno usa.

Essa revisão da rotina é muito importante e com toda a certeza deve ser realizada.

4. Permita que seu filho converse com você sobre o seu dia a dia.

A partir dos 3 anos, as crianças já conseguem conversar de “igual para igual” com os seus pais.

Lembre-se que as crianças são pessoas normais, com medos, responsabilidades e sentimentos.

É muito importante que você, papai ou mamãe, esteja ciente de tudo o que acontece com o pequeno.

Com muita empatia, ouça-o e entenda o que o pequeno tem a dizer. Pode ser de grande ajuda essas conversas pois podemos descobrir muitas coisas dos nossos filhos em pouquíssimo tempo.

5. Se necessário, converse diretamente com um especialista.

Um “distúrbio de pesadelos” acontece quando a criança passa muitos dias tendo sonhos ruins.

Caso os pesadelos continuem mesmo após todas as sugestões passadas anteriormente, é interessante levar a criança a um médico ou especialista para que sejam realizados os procedimentos mais adequados.

Poder ver nosso pequeno dormindo igual um anjinho após uma noite agitada é gratificante.

A hora do soninho é um dos momentos mais importantes no dia das crianças. Por isso preze bastante por esse momento.

Faça o possível para evitar que esse período seja atrapalhado por qualquer problema.

Pijamas para bebês, pijamas infantis para meninas e pijamas infantis para meninos são uma ótima pedida para que a noite passe de forma confortável e leve para os pequenos.

Adquirir roupas infantis de qualidade e que sejam confortáveis também é uma prova de amor e carinho.

Você também pode gostar de:

Deixe seu comentário

comments

Deixe um comentário